Prospecção Geoquímica na Pesquisa Mineral

A prospecção geoquímica, que também pode ser chamada de exploração geoquímica é uma das etapas que pode ser utilizada na pesquisa mineral e se baseia nas identificações de anomalias de elementos químicos na área em que se está executando o estudo.

O que é a Prospecção Geoquímica?

A prospecção geoquímica é baseada no conceito de que a existência de depósitos e jazidas minerais, pressupõe a presença de concentrações maiores que o comum (anomalias) em determinados locais da área de pesquisa e costuma fazer parte de etapas da pesquisa mineral que está presente nos estudos mais regionais

Ela pode ser utilizada para diversos minérios, como, ouro, ferro, manganês, prata, platinoides, entre outros. Contudo, possui diferentes métodos, que vão ser aplicáveis ou não a depender do modo de ocorrência daquele minério naquela determinada região.


Métodos de prospecção geoquímica

Os principais métodos geoquímicos são os de análise de sedimentos ativos de drenagens e de concentrados de bateias. Os dois se baseiam na detecção dos halos de dispersão de depósitos minerais, produzidos pelos agentes de erosão.

De acordo com Licht, 1998, esses métodos são muito utilizados na prospecção mineral principalmente devido ao seu baixo custo e a possibilidade de integração dos dois juntamente com outros tipos de trabalho.

Sedimentos Ativos de Drenagens

Podem ser definidos como materiais não consolidados que são transportados na corrente do rio por saltação, tração ou suspensão, em conjunto com os materiais que são quimicamente precipitados (Brim, 1985).

Concentrados de bateia

São os minerais que possuem uma densidade méidia superior a 2,7g/cm³ (maior que o quartzo), que são amostrados por meio de separação magnética. Esses minerais são comumente chamados de minerais pesados e são resistentes aos processos de intemperismo.

Esse tipo de estudo é feito com o intuito de determinar as quantidades elativas de um mineral que possui valor econômico em sedimento de corrente e traçar a drenagem à montante da fonte, seguindo o padrão de concentração crescente, caso o mesmo seja encontrado (Hawkes, 1957).

prospecção geoquímica

Fatores que influenciam na mobilidade dos elementos

Todo o trabalho de prospecção geoquímica é realizado baseado na mobilidade dos elementos químicos e dos minerais, dessa forma, alguns fatores interferem diretamente nesse parâmetro e eles são:

  • Potencial iônico do elemento químico
  • Ph do ambiente estudado
  • Distância de uma amostra de sedimento de drenagem em relação a área mineralizada

Segundo Hawkes, 1976, quando se sabe a localização da mineralização e sua continuação lateral, é possível calcular a significância de uma amostra anômala em relação à bacia de captação de drenagem.


Prospecção geoquímica aplicada a mineração

Confira o passo a passo de como aplicar a prospecção geoquímica na pesquisa mineral:

  1. Primeiro deve ser avaliada a área e alguns trabalhos anteriores que podem ou não ter sido realizados, como, pesquisa bibliográfica da geologia e processamento e interpretação de imagens aerogeofísicas.
  2. Após isso, analisa-se o minério que está sendo prospectado e, de acordo com a geologia e os dados preliminares, se define os métodos, elementos, sensibilidade e precisão das amostras, onde são considerados também os custos gerais, conhecimentos necessários, capacidade laboratorial, entre outros.

Cabe ressaltar que existem dois níveis de levantamento geoquímico, o de reconhecimento ou Regional e o de Detalhe (Follow up).

O primeiro localiza trechos mineralizados ou favoráveis a ter mineralização, com o objetivo de localizar anomalias e investiga grandes áreas. O segundo delimita anomalias e mineralizações associadas, se possível, investigando pequenas regiões.

3. Posteriormente a tudo isso, começa-se a amostragem inicial, que é feita em superfície ou em profundidade do subsolo, para definir o nível de confiança, chamada de caracterização geoquímica. Para o reconhecimento regional utilizam-se materiais nos quais a informação contida represente um trecho ou área, tal qual sedimento de corrente e água. Para o levantamento de detalhe utilizam-se materiais com capacidade para informações pontuais, tal qual solo, rocha, vegetação, etc.

4. Após a coletada e análise das amostras, elas podem ir para um laboratório ou terem análises feitas in situ, de acordo com os métodos analíticos que serão utilizados.

5. No quinto passo, com os dados, é possível confeccionar mapas de anomalia geoquímica, medir as estatísticas e avaliar os resultados da campanha de prospecção geoquímica, utilizando os dados em conjunto com outros estudos realizados anteriormente ou materiais bibliográficos de pesquisas executadas na região.

6. Por fim, ocorre a interpretação dos dados, que vai confirmar ou não a presença de anomalias, que caso sejam positivas, podem ser feitas mais  amostragens em áreas menores, numa malha de curto espaçamento para ser realizada novamente a análise e a avaliação dos resultados ou pode-se realizar geofísica para prospecção mineral, caso o minério esteja em profundidade, além de outros possíveis métodos de pesquisa a depender da situação.

Cabe ressaltar que para cada pesquisa mineral executada, existem diferentes de utilizar a geoquímica para a prospecção mineral, portanto, não existe nenhum modelo pronto ou passo a passo específico e ele vai variar de acordo com a região, os dados, o minério a ser prospectado e diversas outras informações. Dessa forma, você deve contar com uma equipe de geólogos experientes para executar esse o trabalho de prospecção geoquímica bem feito.

Se você está precisando fazer uma prospecção geoquímica na sua área mineral para saber onde estão as principais anomalias de um determinado minério, entre em contato conosco, somos especialistas em prospecção e pesquisa mineral!

Powered by Rock Convert

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.