Caminhamento Elétrico: Entenda o que é e suas aplicações.

O caminhamento elétrico é uma técnica geofísica utilizada para realizar investigações laterais de um parâmetro físico a uma ou várias determinadas profundidades, efetuadas na superfície do terreno, geralmente ele é utilizado para medir a resistividade elétrica das rochas e possui diversas aplicações.


O que é o caminhamento elétrico?

A técnica do caminhamento elétrico é feita com base na análise e interpretação da resistividade do terreno, sendo aplicada a partir da teoria da eletrorresistividade e obtida a partir de medidas efetuadas na superfície do solo, investigando, ao longo de uma seção, sua variação na horizontal, a uma ou mais profundidades.

Os resultados obtidos se relacionam através de mapas (a uma ou mais profundidades determinadas), ou de seções (com várias profundidades de investigação) e a partir disso e da análise da geologia daquele determinado local, é possível tentar identificar onde determinadas rochas estão localizadas na superfície.

Dessa forma, ao finalizar o trabalho e realizar os procedimentos de processamento e inversão dos dados geofísicos, o geólogo/geofísico elabora um mapa com os valores de resistividade da região e pode correlacionar o mesmo com a geologia local e outros parâmetros, de acordo com o objetivo em que o estudo está sendo executado.

Abaixo, segue uma imagem da execução do caminhamento elétrico aplicado a locação de poços artesianos.

Equipamento-montado-para-executar-um-perfil-do-caminhamento-eletrico
Equipamento montado para executar um perfil do caminhamento elétrico
Geólogo fazendo a aquisição de dados de um caminhamento elétrico
Geólogo fazendo a aquisição de dados de um caminhamento elétrico
Mapa gerado da resistividade do local gerado após o processamento dos dados geofísicos.

Neste mapa, os valores em roxo e azul possuem menor resistividade e os valores em vermelho possuem uma maior resistividade. No exemplo acima, foi utilizado o arranjo gradiente, que investigou a área somente até uma determinada profundidade de acordo com o objetivo do estudo.

Cabe ressaltar que nesse caso, os valores entre as linhas geofísicas foram interpolados em um software, utilizando métodos estatísticos para poder ser obtida a resistividade da região mesmo em pontos em que as linhas não foram executadas.


Arranjos geofísicos utilizados

A partir do caminhamento elétrico, existem diferentes arranjos geofísicos (que são basicamente maneiras e métodos de aquisição dos dados) que podem ser feitos, eles são:

  • Dipolo-dipolo;
  • Polo-dipolo;
  • Wenner;
  • Schlumberger;
  • Gradiente.

Cada um destes possui características específicas e vai utilizar diferentes maneiras de espaçamento dos eletrodos. A partir disso, existem os pontos positivos e negativos da utilização de cada um deles, para isso, é necessário que o geólogo avalie qual utilizar a depender do objetivo daquele determinado trabalho.

Os arranjos que são mais utilizados para a realização do caminhamento elétrico são: 

  1. Arranjo Gradiente

Utilizado principalmente devido a sua praticidade para aquisição de dados e mobilidade em campo, ele mede a profundidade de acordo com a distância entre os eletrodos A e B, que vão injetar a corrente elétrica. 

De uma maneira geral, sua profundidade é calculada pela fórmula: Distância de AB / 4, contudo se o A e o B estiverem muito distante, ela se torna uma relação de AB / 5.

  1. Dipolo-Dipolo

Apresenta boa resolução lateral, oferece a melhor resolução como um todo, se comparado a outros arranjos, porém são fortemente influenciados por irregularidades da cobertura superficial. Outra desvantagem é a baixa razão sinal/ruído, principalmente quando a separação entre os pares de dipolos é grande.

Devido principalmente ao seu primeiro ponto positivo, que é a resolução lateral, este arranjo é bastante utilizado para a técnica de caminhamento elétrica, pois, a mesma tem o objetivo de fazer uma varredura lateral no terreno. Uma das suas principais aplicações acontece quando se torna necessário a identificação de fraturas, minérios ou outros materiais que possuem uma pequena espessura, logo, para poder identificá-los, é necessária uma maior resolução.

  1. Polo-Dipolo

Apesar de não muito difundido, o polo-dipolo é bastante utilizado pois, ele tem uma intensidade de sinal significativamente maior em comparação a matriz do dipolo dipolo e não é tão sensível ao ruído. Dessa forma, permite investigações a maiores profundidades. 

A principal desvantagem deste arranjo está relacionada à sua assimetria, pois, se forem realizados caminhamentos em sentidos opostos diferentes pseudo-seções serão apresentadas e isso pode dificultar o posicionamento de uma anomalia com base em uma interpretação qualitativa.

Além disso, em determinados locais, devido a um dos eletrodos de injeção de corrente serem posicionados no “infinito”, se torna necessário que ele seja realizado apenas em locais de grande extensão e de acesso relativamente fácil.


Principais aplicações do caminhamento elétrico

A técnica do caminhamento elétrico é pode ser aplicada à diversas áreas, entre elas estão:

Essas são as principais, contudo, existem outras áreas em que esse tipo de investigação geofísica é aplicada, portanto, se você precisa realizar levantamento geofísico utilizando a técnica do caminhamento elétrico, entre em contato conosco e solicite um orçamento gratuito! 

Powered by Rock Convert

1 Comentário

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.