Sistema de monitoramento de barragem

O monitoramento de barragem é um tema cada vez mais comentado pela sociedade de uma forma geral, principalmente após os recentes desastres que aconteceram na barragem do fundão e em brumadinho e a situação das barragens na mineração brasileira.

Eles fizeram com que uma fiscalização bem mais rigorosa ocorresse e que vários tipos de medidas fossem tomadas tanto por parte da Agência Nacional de Mineração (ANM) quanto pelas empresas e pelo Governo, para que todos pudessem estar adequados ao Plano Nacional de Segurança de Barragens e para que esse tipo de acidente não ocorra novamente.

Por conta de tudo isso, neste texto, vamos falar sobre como ter um sistema de monitoramento de barragem, suas diferenças e como eles podem mitigar esses riscos para que os desastres nunca mais aconteçam e a empresa está sempre segura quanto as barragens que ela possui.

Tipos de sistemas de monitoramento de barragem

De uma maneira geral, existem dois tipos de instrumentos e sistemas que podem ser instalados em uma barragem, eles incluem equipamentos manuais e automatizados. Além deles, por vezes são realizadas inspeções na barragens e monitoramentos pontuais, todos estes de acordo com o plano feito para garantir a segurança da estrutura.

Os manuais apresentam a grande desvantagem da necessidade de coleta manual dos dados, bem como o lançamento no sistema para histórico. Já o sistema automatizado tem como desvantagem o investimento relativamente alto e a necessidade de áreas especialistas (instrumentação, automação, Tecnologia de Informação – TI) para integração dos instrumentos com o sistema de monitoramento da empresa.

Um dos exemplos de ações tomadas pela ANM foi criar uma versão pública do sistema integrado de gestão de barragens. Ele permite a todos gerar as informações referentes a cada barragem, como categoria de risco, categoria de dano potencial, se possui algum plano de ação, entre outros.

Quais as vantagens dos sistemas automatizados?

As vantagens dos sistemas automatizados no processo de monitoramento das barragens são diversas, dentre as quais, conforme aponta Veloso et al. (2007), podem-se citar:

 • Leitura online das variáveis, auxiliando com uma maior rapidez para as tomadas de decisão diante de situações anômalas;

• Melhora na documentação dos dados, uma vez que serão armazenados em arquivos eletrônicos, evitando assim a interferência humana para inserção dos dados;

• Disponibilização dos dados para todos os integrantes da equipe responsável pelo monitoramento da barragem simultaneamente;

 • Melhoria na análise dos dados, tendo em vista que será possível gerar gráficos em tempo real, fazer comparações e correlações entre as medidas;

• Confiabilidade dos dados obtidos.

Além destes pontos, uma das grandes vantagens é a coleta de dados 24h por dia, 7 dias por semana sem precisar ter uma pessoa fazendo essa investigação na barragem ou seja, você vai poder acompanhar em tempo real como está a barragem.

Tipos de instrumentos utilizados para monitorar uma barragem

De acordo com Machado (2007), são utilizados diversos instrumentos nas barragens para medir fenômenos físicos como as tensões, deformações, percolação, vazão, deslocamentos, entre outros.

Segundo Soares (2010), a instrumentação básica que é praticamente obrigatória para operação e acompanhamento da performance de barragens de rejeito consiste em:

• Piezômetros para a determinação dos níveis de água no corpo da barragem e suas fundações

• Equipamentos para medir velocidade de assentamento dos finos no reservatório e dos materiais grossos no corpo da barragem

• Coletores de água para determinar as vazões que se processam pelo corpo da barragem

Monitoramento de barragens de mineração

O monitoramento das barragens de mineração é de responsabilidade do empreendedor e os registros devem ser armazenados e reportados aos órgãos competentes.

Geofisica aplicada a barragemPowered by Rock Convert

De acordo com a RESOLUÇÃO Nº 40, DE 6 DE JULHO DE 2020 publicada pela Agência Nacional de Mineração, o empreendedor é obrigado a implantar sistema de monitoramento de barragem em função da classificação do Dano Potencial Associado (DPA) e terá 24 meses a partir dessa data para instalar os equipamentos para supervisão.

Além disso, as barragens classificadas com alto dano potencial ambiental e localizadas em áreas próximas a comunidades, devem manter vídeo monitoramento de sua estrutura 24 horas por dia. As informações devem ser armazenadas pelo empreendedor pelo prazo mínimo de 90 dias.

Instrumentações para cada fase de monitoramento da barragem

De acordo com Soares (2010), os tipos de instrumentação podem ser divididos em 3 fases:

 • Fase de implantação das barragens:

 1. Indicar eventos de anomalias no comportamento das barragens ou de situações que possam favorecer o surgimento de aspectos incompatíveis com o esperado em projeto;

2. Sugerir revisões no projeto, uma vez que as soluções até tal fase se mostrem conservadoras demais, ou o oposto, indicando a redução ou necessidade de aditivo a obra.

• Fase de operação das barragens:

1. Indicar eventos de anomalias que possam comprometer a estabilidade das estruturas;

2. Avaliar o desempenho das estruturas comparando as medidas apontadas pelos instrumentos com aquelas esperadas por modelos matemáticos teóricos;

3. Auditar a conformidade dos critérios utilizados do projeto;

4. Avaliar o estado de conservação da barragem, conforme previsto em projeto;

5. Caracterizar o comportamento dos materiais das estruturas com o desenvolvimento da obra, no intuito de levantar os parâmetros de tempo para estabilização dos deslocamentos, das tensões internas, estabilização das vazões, dentre outros.

• Fase de desativação:

1. Avaliar a estabilidade estrutural resultante do lançamento de rejeitos;

 2. Avaliar o desempenho estrutural, através das medições de tensão interna, variações de vazão, dentre outros.

Os principais dados monitorados pelos instrumentos que são utilizados de maneira mais comum são os de piezometria, vazão de jusante, pluviometria, nível de água do reservatório e os marcos topográficos superficiais.

Sistema de monitoramento de barragem preventivo

O monitoramento de barragens preventivo pode ser realizado por tecnologias que juntas vão garantir ações preventivas e adquirir diversos dados para garantir que aquela determinada estrutura esteja completamente monitorada e algumas delas são:

O laser terrestre

A geofísica para barragens

A ecobatimetria

A Geoscan, é especializada no monitoramento remoto, automatizado e de alta precisão utilizando a geofísica para barragens e, além disso, também possui uma parceria com a Mirante Engenharia que integra as soluções das duas empresas para que o empreendedor possa ter em sua barragem um sistema de monitoramento de barragem e garanta a estabilidade da mesma da forma mais precisa possível.

Agora que você já sabe os diferentes tipos de sistema de monitoramento de barragens, se você pretende fazer um monitoramento preventivo e garantir que sua barragem esteja sempre monitorada e estável, entre em contato conosco.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.