Processamento de imagens na exploração mineral

Processamento de imagens na exploração mineral

Saiba mais sobre como funciona o processamento de imagens de satélite para a exploração mineral

Introdução

O processamento de imagens na exploração mineral é de suma importância principalmente na etapa de prospecção, que antecede a pesquisa mineral das áreas selecionadas.

Por representar um método muito barato e que pode proporcionar muitos resultados relevantes, o processamento de imagem, com o tempo e aperfeiçoamento tecnológico, ganhou, e ainda ganha, muito espaço nas empresas de exploração mineral por ser um ótimo filtro de áreas potencialmente mineralizadas.

No texto de hoje iremos abordar quais são os principais processamentos realizados, suas aplicações e importância da técnica.

Qual o princípio do processamento de imagens na exploração mineral?

Desde a segunda metade do século passado, com os avanços em engenharia espacial, temos vários satélites em órbita do espaço terrestre.

Por causa da guerra fria, um dos principais eventos do século passado, houve uma necessidade de ambos os lados em espionar seus adversários sem que fossem percebidas as reais intenções.

Por causa dessa necessidade, cientistas do mundo todo foram capazes de projetar sensores que seriam carregados nos satélites e que seriam capazes de monitorar, principalmente, a saúde das lavouras inimigas e o potencial mineral que o território do outro lado detinha.

Com o tempo, as técnicas foram aperfeiçoadas e a guerra fria acabou, mas as técnicas continuaram sendo usadas por causa de sua utilidade.

Estes sensores funcionam partindo de princípios físicos estudados em ótica, e usam sensores que conseguem discriminar diferentes intervalos de comprimentos de ondas (visíveis a olho nu ou não) e calcular a elevação do terreno usando um laser que funciona como ondas de um batímetro: a velocidade do feixe de laser emitida e recebida pelo sensor é conhecida, possibilitando que as características do terreno sejam obtidas remotamente.

Com o conjunto de possibilidades oferecido por essas técnicas, é possível reconhecer mudanças composicionais nos terrenos através do comportamento da vegetação, do comportamento geomorfológico de uma região ou, mais precisamente, reconhecer potencialmente a quantidade e os possíveis tipos de minerais presentes em uma determinada área.

Claro que as imagens obtidas pelos satélites não são suficientes e por isso o processamento de imagens na exploração mineral é importante, pois é através deste tratamento de imagens que as equações envolvidas serão aplicadas nos dados obtidos (as imagens) para produzir um mapa mais claro com as informações relevantes de cada caso de mineralização.

Imagem processada digitalmente para exploração mineral

Como é feito o processamento de imagens aplicado a mineração?

Existem diversas técnicas, das mais simples as mais complexas, que são usadas com frequência no processamento de imagens.

Quando há a possibilidade de trabalhar com dados que descrevem o relevo, por exemplo, é possível, através do processamento de imagens, obter as formas geomorfológicas da região, identificar estruturas geológicas responsáveis em concentrar certas substâncias minerais, obter o mapa topográfico que será usado no planejamento de pesquisa e lavra e assim por diante.

Já as imagens produzidas a partir de intervalos de comprimentos de ondas específicos, é possível determinar mudanças no comportamento fotossintético da vegetação da área, que reflete mudanças no substrato em que estão assentadas, por exemplo.

Através de equações, ainda, é possível discriminar regiões enriquecidas em ferro, zinco, estanho e vários outros metais que podem se concentrar na superfície por causa do intemperismo que, por sua vez, podem representar depósitos reais destas substâncias tanto em superfície quanto em subsuperfície.

Outra aplicação muito usada, ainda tratando de comprimentos de ondas diferentes, é a confecção de mapas que são capazes de caracterizar os diferentes minerais de alteração relacionados a depósitos profundos, possibilitando o traçado de vetores, obedecendo estas zonas de alteração, que apontam para corpos mineralizados.

Outros tratamentos podem ser realizados usando dados geofísicos obtidos através de levantamentos aéreos. Produtos gerados a partir de levantamentos gravimétricos, de emissão de radiação (gama espectrometria) e magnéticos são tão amplamente usados quanto os dados anteriores e quase sempre são a prova de que há ou não um corpo possivelmente mineralizado na área.

Conclusão

O processamento de imagens de satélites e aerogeofísicas é uma ferramenta muito útil para delimitar os alvos de possíveis mineralizações na região onde vai ser feita a pesquisa mineral. Sendo assim, essa ferramenta é cada vez mais imprescindível antes de se realizar a pesquisa mineral e o mapeamento geológico.

A GEOSCAN conta com colaboradores capacitados e emprega os melhores softwares para realizar esse tipo de serviço. Caso você esteja necessitando de algum serviço na área de mineração, entre em contato conosco.

Powered by Rock Convert

2 Comentários

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.