Método do potencial espontâneo

O método do potencial espontâneo é um método geofísico baseado na medição dos potenciais elétricos que são estabelecidos entre dois eletrodos. No início, esse método, também chamado de SP, era aplicado principalmente na prospecção mineral, contudo, posteriormente ele foi aplicado ao meio ambiente, geologia de engenharia, perfilagens de poços, hidrogeologia e outros.

Se você quer entender mais sobre o método do potencial espontâneo, continue lendo este conteúdo até o final!

Como funciona o método do potencial espontâneo (SP)

 O método do potencial espontâneo é um método de campo natural baseado na ausência de um campo elétrico criado artificialmente. A partir dele, pode-se medir a diferença de potencial entre dois eletrodos que são colocados no ambiente onde o ensaio está sendo executado.

A partir disso, quando existem bons condutores, como:

  • Sulfetos maciços;
  • Fraturas preenchidas com argila;
  • Tubulações metálicas;
  • Entre outros.

O potencial espontâneo pode chegar a atingir centenas de milivolts e ser medido na realização do ensaio. Uma das suas principais vantagens é a praticidade dele, tanto para que ele seja executado em campo, quanto em relação aos equipamentos necessários para que ele seja executado.

método do potencial espontâneo

Quais são os equipamentos necessários para executar esse método?

Para se aplicar o método do potencial espontâneo (SP), é necessário apenas de dois eletrodos, um milivoltímetro e fios isolados para que seja realizada a conexão entre os eletrodos e o milivoltímetro e o potencial espontâneo do terreno possa ser medido.

Esse fenômeno é causado pela atividade eletroquímica ou mecânia, sendo a água subterrânea um dos elementos mais importantes para que ele possa ser gerado. Os potenciais podem estar associados a presença de:

  • Corpos metálicos;
  • Contato de rochas com diferentes propriedades elétricas;
  • Atividade bioelétrica de materiais orgânicos;
  • Gradientes térmicos;
  • Pressão de fluidos na superfície do terreno;
  • Entre outros.

Dessa forma, é muito importante que antes de executar esse método você conheça a geologia local da região e, principalmente, que entenda qual o objetivo do estudo para saber se o método do potencial espontâneo é aplicável ou não.

Cabe ressaltar ainda que esse método costuma ser utilizado junto com outros para que possa haver uma correlação entre eles e para que o geólogo ou geofísico façam uma interpretação melhor da geofísica.

Portanto, ele costuma ser aplicado juntamente com os métodos de eletrorresistividade ou polarização induzida, podendo ser usado também com outros métodos geofísicos.

Na prospecção mineral, as anomalias geralmente são negativas, quando estão relacionadas a sulfetos maciços, pois eles se comportam como condutores, já para barragens e outros estudos relacionados a água subterrâneo, as anomalias são geradas pelo fluxo de fluidos, sendo este método utilizado principalmente para localizar e entender como esses fluxos ocorrem e quais as fontes dele.

Dessa forma, uma de suas aplicações está na investigação geofísica em barragens e em estudos relacionados a água subterrânea, para entender como está o fluxo da água, onde ele está e se ele está ocorrendo.

Agora que você já entendeu como é feito o método do potencial espontâneo, se você quiser contar com especialistas na aplicação dele, entre em contato conosco clicando no botão de whatsapp ao lado!

Referências

GALLAS, José Domingos Faraco. O método do potencial espontâneo (SP): uma revisão sobre suas causas, seu uso histórico e suas aplicações atuais. Rev. Bras. Geof.,  São Paulo ,  v. 23, n. 2, p. 133-144,  June  2005 .   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-261X2005000200003&lng=en&nrm=iso>. access on  03  May  2021.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-261X2005000200003.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.