Introdução

O Brasil é um dos principais exportadores de ferro no mundo e por causa de minas localizadas no Pará e em Minas Gerais fica fácil perceber que existem várias minerações de grande porte no país.

Mas não se enganem com o tamanho das lavras brasileiras e pensem que estas estão próximas de atingir algum limite estipulado de tamanho. Algumas minas a céu aberto ao redor do mundo, desativadas ou não, foram capazes de alcançar profundidades de mais de um quilômetro.

No artigo de hoje iremos falar um pouco sobre minerações profundas a céu aberto, embora profundidades de quase quatro quilômetros possam ser alcançadas em minas subterrâneas.

Algumas características em comum

Quando paramos para analisar a lista das maiores e mais profundas minerações a céu aberto no mundo, é possível perceber que a maioria extrai diamantes ou cobre.

A razão desta coincidência está no modelo de formação destes depósitos, que resulta em corpos muito profundos e estreitos, como se fossem grandes chaminés recheadas de minérios.

O caso dos diamantes, a estrutura geológica relacionada aos depósitos é conhecida como pipe, que significa “pescoço” em inglês, justamente por ser uma estrutura cilíndrica, muito alongada e disposta sempre na vertical em relação a superfície.

Por causa da estrutura em pipe, as mineradoras precisam planejar a lavra para que o menor volume de estéril seja extraído no momento da retirada de diamantes, resultando em uma mina alongada na vertical em relação à superfície.

Quando a substância é o cobre, o depósito mais comum é o pórfiro, ao invés de o depósito estar contido em uma estrutura como uma em pipe.

Pórfiros são corpos extremamente profundos gerados a partir do resfriamento de m magma enriquecido que será o responsável em concentrar o metal em uma determinada região

A profundidade se deve à descompressão e queda de temperatura necessária para que o cobre se separe do magma e migre para uma região, se concentrando.

Como tanto a descompressão quanto a temperatura são mínimas, os depósitos do tipo pórfiro acabam se formando e se mantendo em altas profundidades.

Por causa desta profundidade, os engenheiros de minas precisam seguir o mesmo princípio que usam nos pipes de diamantes, projetando lavras profundas, cilíndricas e apertadas.

As minerações profundas a céu aberto no mundo

Nesta seção iremos falar sobre as maiores minas a céu aberto do mundo e onde se localizam.

  • Escondida Copper Mine: A Escondida Copper Mine está localizada no Chile, no deserto do Atacama, e é responsável por boa parte da produção de cobre chilena. A mina possui duas cavas, sendo que a maior delas possui cerca de quatro quilômetros de comprimento, 2,7 quilômetros de largura e 645 metros de profundidade.
  • Kimberly: A mina de Kimberly é mais conhecida como o “O Grande Buraco” e está localizada na África do Sul. Apesar de sua profundidade estar em torno de 200 metros, a lavra merece destaque nesta lista por ser uma mina muito antiga e que foi desativada em 1914. Atualmente, o governo sul-africano pretende não só fazer com que o local seja considerado um importante local turístico, mas também um patrimônio mundial.
  • Bingham Canyon: A mina de Bingham Canyon é a lavra mais profunda do mundo, atingindo 1, 2 quilômetros de profundidade. Está localizada no estado de Utah, nos Estados Unidos da América. Além de produzir cobre, é também produtora de ouro, prata e molibdênio.

A GeoScan Geologia e Geofísica é uma empresa que atua no mercado de pesquisa mineral há anos e é também capaz de realizar levantamentos geofísicos que auxiliam na prospecção mineral.

26 de novembro de 2018